Verdade sobre Facebook que chocou o mundo.

Há dois anos, os usuários do Facebook ficaram chocados ao saber que empresa tem estudado o comportamento humano traves  da rede social. E não é de hoje que têm “manipulado” as informações que aparecem no feed de notícias, por exemplo, quando o Benfica foi tri-campeão é normal que no seu feed de notícia a maioria das informações tenham  sido sobre o mesmo. 
 




A conclusão é que a empresa usa os usuários com “ratos de laboratórios”, muitas são as ferramentas usadas para o mesmo. Por exemplo, o que faz as pessoas “se matarem” por “likes” nas fotos, normalmente o que move as pessoas a isso é o dinheiro e nem isso se ganha com os “likes”,  são ferramentas usadas pelo facebook para analisar as reacções e emoções das pessoas.

Alguns anos atrás, Tim Cook, CEO da Apple, afirmou que os usuários do Google não eram clientes, e sim o produto. E ele estava certo, pois o Google mede os dados e actividades dos seus usuários e vende para as empresas, através do Google AdWords e Google Display Network, e essa é principal fonte de renda da companhia. E assim como ele, o Facebook também utiliza a rede de pessoas como um produto. Pelas internações, é possível classificar os usuários pela sua localização, trabalho, eventos, acontecimentos da vida pessoal e preferência sexual, assim como outras informações, como podemos ver http://www.forbes.com.br/negocios/2016/05/facebook-trata-usuarios-como-ratos-de-laboratorio/.


Por ser um serviço de graça, não se paga absolutamente nada,  a renda tem que vir de algum lugar, por isso estas informações são usadas para publicidades,  marketing e outras coisas  mais que ainda estamos por descobrir. 

Veja tambémMark Zukerberg eleito número 1 do mundo em 2015


Tanto o facebook como a google oferecem as empresas serviços personalizados,  o seu “target” ideal e ajustado as suas necessidades, é um sonho para o departamento de marketing das empresas. 
Depois de tanta polémica, alguns sites pedem permissão para gerir e armazenar os seus dados, os chamados “cookies”, ao clicar no “entendi” está autorizando o site a gerir os seus dados pessoais, as suas pesquisas e etc. 


Por esse mesmo motivo, 52% das receitas do Facebook do ano passados veio dos anúncios.  Quanto mais forem as emoções, mais rico se torna o Zuckerberg, nada pessoal, são só negócios.


fonte: Forbes.com.br