Hackers atacam páginas de Mark Zuckerberg no Twitter e Pinterest

Piratas informáticos conseguiram entrar nas contas pessoais do Twitter e Pinterest do fundador e CEO da rede social Facebook, Mark Zuckerberg. Os hackers, que se identificaram apenas como “OurMine Team”, fizeram uma publicação no Twitter de Zuckerberg, este domingo, e alteraram o nome da página de Pinterest do norte-americano.

O acesso parece ter sido conseguido porque Zuckerberg foi um dos 160 milhões de utilizadores afetados por um ataque informático à rede social LinkedIn em 2012, quando milhões de passwords foram roubadas.
As mensagens deixadas pelos piratas informáticos já foram apagadas, mas o utilizador do Twitter Ben Hall registou o momento. 

Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

Ouch. Mark Zuckerberg’s social media accounts have been hacked
Como escreve o Business Insider, os hackers dizem ter atacado também a conta de Instagram de Zuckerberg, mas o Facebook já garantiu que nenhuma rede social do grupo foi atacada.

No entanto, a culpa deste ataque pode estar um pouco do lado de Zuckerberg. Tudo indica que o fundador do Facebook cometeu um erro “básico” no que toca à escolha de uma palavra-passe: além de curta era usada em várias plataformas. Mesmo que a password não estivesse na lista, “dadada” não é uma palavra-passe segura, já que por ser curta pode ser descoberta por programas que experimentam todas as combinações possíveis.

Fonte: TVI24

Como Beyoncé, Drake e Justin Bieber cresceram no Instagram

O aplicativo de compartilhamento de imagens Instagram tornou-se uma importante ferramenta de marketing que, nesta semana, atingiu a marca de 500 milhões de usuários mensais em apenas cinco anos. Mas, nos últimos seis meses, ele ganhou um papel ainda mais ativo na indústria da música graças à contratação da grande responsável por parcerias musicais, Lauren Wirtzer-Seawood, pela empresa de gestão e entretenimento Parkwood Entertainment, que pertence a Beyoncé.
“A música é extremamente importante para o Instagram como negócio. É por isso que me chamaram”, disse a executiva. O foco de Lauren é criar uma ponte entre o aplicativo e a indústria musical e isso significa fazer com que artistas como Radiohead, Taylor Swift e Beck integrem campanhas de marketing do Instagram.

Postagens de Beyoncé e Drake em datas próximas ao lançamento de seus álbuns conseguiram aumentar o número de seguidores em 28% (mais de 16 milhões) e 16% (mais de três milhões), respectivamente. Desde que a cantora pop anunciou seu single “Formation” pelo aplicativo, em fevereiro – assim como seu álbum “Lemonade” e sua versão visual, em abril – suas postagens somaram 151 milhões de interações (curtidas e comentários). A divulgação do álbum “Views”, de Drake, que acabou virando meme, conquistou 52 milhões de interações desde 1º de abril.
A equipe de Beck usou o Instagram quando iniciou o “brainstorm” para o lançamento de seu último single, “Wow”. “Trabalhei com o time do cantor durante meses para saber a ideia que eles tinham sobre como usar a comunidade pra contar a história de sua visão criativa”, contou a executiva.
O resultado foi uma colaboração de um dia entre Beck, a gravadora Capitol Records e mais uma dúzia de artistas escolhidos a dedo por ele. Cada um desses artistas compartilhou um pequeno vídeo com um trecho exclusivo da música. No total, essas postagens reuniram 4,5 milhões de visualizações até agora.

A inabilidade de incluir links nas legendas do Instagram, porém, limita seu efeito e outras redes sociais estão na competição por devotos. O Snapchat, por exemplo, reportou sete bilhões de visualizações diárias em janeiro e atraiu fãs do DJ Khaled até admiradores do presidente da Warner Lyor Cohen, mas a fama dos smartphones pode estar acabando. O Twitter sofreu uma queda de um terço no uso da rede nos últimos dois anos.
Mesmo assim, uma pesquisa feita pela Nielsen Music em março descobriu que usuários do Instagram gastam 42% a mais em itens relacionados a música do que o resto da população e são duas vezes mais propensos a pagar por um serviço de streaming.
“O Instagram percebeu como os artistas são valiosos para a plataforma e quer ter relacionamentos sólidos com eles”, conclui Lauren.

Beyoncé dedica ‘Halo’ às famílias das vítimas de atentado em Orlando

Aconteceu no último show da primeira fase da turnê “The Formation World Tour” nos Estados Unidos. Ao final do espetáculo em Detroit, Beyoncé dedicou a última canção, “Halo”, às famílias das vítimas do atentado que aconteceu em Orlando no último domingo, 12.
“Essa próxima canção fala sobre o amor, e eu gostaria de dedicá-la aos familiares daqueles que perderam suas vidas na Flórida”, disse Beyoncé. No domingo, a cantora já havia publicado uma imagem em homenagem às vítimas em suas redes sociais.
O ataque na boate gay Pulse deixou 49 mortos e dezenas de feridos. Um homem de 29 anos entrou no local disparando contra os frequentadores e em seguida foi morto pela polícia. O caso já é considerado o pior massacre da história dos Estados Unidos desde 11 de setembro de 2001.

Fonte: Beyhive.com.br

Beyoncé, mulher mais rica do planeta a fazer a sua própria fortuna

Nos últimos anos, Beyoncé ganhou o mundo. Seu álbum “Lemonade” é o mais vendido de 2016, ela foi eleita por FORBES como uma das mulheres mais influentes do mundo e é uma das mais ricas do planeta a fazer sua própria fortuna.
Além do sucesso profissional e musical, a cantora também é dona de outros recordes: foi eleita, este ano, como a mais bem vestida do tradicional baile de gala do Metropolitan, em Nova York, e é constantemente lembrada como uma referência da moda.

Isso, no entanto, nem sempre foi assim. No início dos anos 2000, fãs e críticos da área apontavam falhas no estilo da artista. Foi quando a parceria entre ela e a estilista Zerina Akers foi firmada que a história começou a mudar.

Como a estilista de Beyoncé fez de um limão uma limonada

Akers é a responsável por montar a maioria dos looks que a cantora posta em seu Instagram, usa em shows e nos clipes. Formada em Fashion Design no Instituto de Artes da Filadélfia, ela começou sua carreira na “W Magazine” antes de se mudar para Nova York para uma pós-graduação no Laboratory Institute of Merchandising.
Depois de um intercâmbio na Universidade de Westminster e um estágio como relações públicas na grife Stella McCartney, ela voltou, em 2011, aos Estados Unidos para trabalhar na Brooks Brothers como coordenadora de catálogos da marca. Em 2014, ela foi indicada para trabalhar como estilista pessoal de Beyoncé.
A designer de moda aprendeu a costurar com sua avó, Yolanda Spalding. Já no Ensino Médio, ela lançou sua própria linha de roupas e nunca mais parou. Recentemente, ela lançou seu próprio site, com dicas e portfólio de suas criações.
Zerina fez parte do time que montou o álbum visual Lemonade. A curadoria de roupas da cantora no clipe-documentário, lançado pela HBO, é toda dela, assim como as dos dançarinos e participantes especiais.

Fonte: Forbes.com.br

15 sinais para descobrir se alguém é o amor da sua vida



Com certeza em algum momento você já se perguntou se ele/ela é o amor da sua vida. Não importa se é uma relação de amizade, o seu companheiro atual, ou uma pessoa que você ainda não conheceu totalmente. Sei que é complicado explicar o que você sente quando descobre que está apaixonado. Porém, uma coisa está clara: todos costumamos compartilhar a sensação de estarmos no paraíso quando estamos junto da pessoa que amamos, por quem estamos apaixonados. Vivemos em uma sociedade onde nos mostram o amor e os relacionamentos como algo muito idealista, empurrando-nos desta forma a não saber distingui-lo quando acontece na nossa vida. O amor é uma emoção e sensação tão preciosa que, quando acontece, não podemos deixá-lo escapar. Por isso, eu lhe convido a descobrir se ele/ela é o amor da sua vida graças a estes 15 sinais. Será que você estará sentindo mais de um?:

1- Você já não pensa no seu ex. Quando você encontra o amor verdadeiro, todo o resto se torna algo secundário. Você se sente em uma nuvem cheia de autenticidade e segurança. Você não sente medo, tem consciência de que a pessoa que está ao seu lado nunca lhe faria mal. Só existe desfrutar o momento e a pessoa que você ama. Os ex-parceiros aparecerão nas suas lembranças somente como uma aprendizagem necessária na sua vida, uma forma de seguir crescendo. Nada mais.

2- Não é preciso falar continuamente. O amor é segurança, confiança e autenticidade. Você se sente cômodo, amado, e o silêncio se torna o seu melhor amigo. Porque com um simples olhar vocês podem preencher os seus corações.

3- Ele faz com que você se sinta bem. Quando amamos estamos cultivando o nosso caminho com empatia e respeito. A busca pela felicidade para os dois faz com que ele/ela faça com que você se sinta melhor quando você não está bem. Ao vê-lo o seu coração se enche de bem-estar.



4- Você se sente livre para ser você mesmo. Tanto nos bons como nos maus momentos, ele/ela não mudou a opinião que tem sobre você. Julgar desaparece do seu dicionário emocional e o “o que ele vai pensar” se torna simplesmente em “amo você”. Todo o resto não importa.

5- Não existem ciúmes ou aborrecimentos. Ele/ela sabe bem que você escolhe compartilhar o seu coração com ele/ela. A segurança entre ambos já foi demonstrada em muitas ocasiões, desaparecendo assim os ciúmes e aborrecimentos



6- Ele escolhe livremente que você é a sua prioridade. O seu amor leva-o a fazer de forma sincera e livre coisas por você que não faria por mais ninguém. Ele a acompanhará onde precisar, assim como você faria o mesmo por ele/ela. Onde estiverem os dois, será um espaço cheio de paz e bem-estar.

Qualquer atividade se tornará com prazer, um sincero compartilhar. Sempre está com você quando mais precisar, sem necessidade de pedido. O apoio será o melhor presente de um para o outro.

7- Ele entende a importância da família. Vai com você visitar os seus familiares e sempre faz isso feliz, com um sorriso. Sabe que para você a sua família é importante e faz parte da sua vida. A vida que deseja compartilhar com você.

8- Sabe o que é importante para você. As coisas importantes e assuntos a serem tratados relacionados ao casal e o seu bem-estar se solucionam de forma natural. Você não precisa estar continuamente fazendo-o ver as suas necessidades como pessoa. Ele mesmo se preocupa em descobri-las e fazer com que você se sinta bem.



9- Você não esperava que fosse assim. Você esperava que ele/ela tivesse todos os adjectivos da sua lista? Certamente não. Você descobriu uma pessoa diferente tanto física como emocionalmente. E é o que fez você se apaixonar. Sua pessoa. O resto não importa.

10- Você fica sem palavras. Não importa quantas vezes você diga “amo você”. Nunca será suficiente. O seu amor por ele é tão grande que o seu coração se ilumina cada dia mais e mais. Você o ama.      

11- Não para de rir. Ao ser você de verdade e sentir-se livre, você desfruta e aprende a viver o momento. Ao se entenderem tão bem, qualquer brincadeira e situação se converte em um momento cheio de diversão e alegria.

12- É o seu fã número um. Ele preencherá os seus dias dizendo o quão incrível você é. O quão linda, esperta e forte você é interiormente. Sempre estará pronto quando você precisar de um empurrão, e o seu apoio será um dos melhores que você pode encontrar.

13- Conhece você de forma única. A confiança entre os dois é total e você deseja que ele a conheça de verdade. Você se sente livre e com vontade de lhe contar tudo o que você é e deseja ser.

14- Admira sua pessoa e coração. Já tem tempo que você sente que ele é a pessoa mais maravilhosa que você conheceu e a inspira para ser melhor. Sentir o amor nos torna melhores e capazes de realizar tudo aquilo que desejamos e queremos.

15- É a primeira vez que você se sente assim. Certamente, desde os primeiros dias, você sente que esta relação é diferente de todas as outras que você já viveu. Você consegue explicar como se sente? Não se preocupe, sei que é complicado. Mas aí reside a magia. É o amor da sua vida. (Fonte: amenteemaravilhosa.com.br )

COMO LIDAR COM PESSOAS QUE “SE ACHAM” OU PENSAM QUE SÃO MAIS DO QUE AS OUTRAS

Resposta: Vamos entender um pouco porque essas pessoas agem assim.
Essa pessoas que “se acham” como você colocou, creio que você está se referindo a pessoas arrogantes, orgulhosas, que se refere a soberba dos 7 Pecados Capitais.
O termo orgulho, conceito exagerado de si próprio, com aparente amor-próprio demasiado, constantemente despreza tudo e todos, sempre julgando com suas severas críticas.
A pessoa orgulhosa por não suportar a dependência, menospreza os sentimentos das pessoas, se colocando sempre como um “ser superior”, como se estivesse num pedestal difícil de ser alcançado.
Precisa fazer com que o outro se sinta diminuído para que ela se sinta superior. São pessoas mais preocupadas em ter do que em ser, e que não possuem autoconhecimento algum.

O conceito exagerado de si próprio, o amor-próprio demasiado, a necessidade de poder, são apenas máscaras que buscam compensar a falta de amor que sentem por si mesmas, pois possuem em geral uma necessidade de autoafirmação.
O orgulho está diretamente relacionado com a falta de amor-próprio, com a ambição pelo poder e com a aquisição de bens materiais, pode ser uma forma de compensar a sensação de vazio.

Esse impulso para o poder, essa necessidade de querer ter mais, pode ainda ser consequência do sentimento de inferioridade, e da sensação de desamparo, fragilidade e impotência, presentes em muitos de nós.

Porém, esses sentimentos são mais intensos naqueles que, nos primeiros anos de vida, não encontraram junto aos adultos com quem conviveram o conforto, o acolhimento, e o amor que amenizassem esse desamparo.
Isto leva a ter uma imagem de si inflada, aumentada, nem sempre correspondendo a realidade.No campo profissional aparece com a sensação de que “eu sou melhor que os outros” por algum motivo.


Surge com isso a necessidade de aparecer, de ser visto, passando inclusive por cima de padrões éticos e procurando colocar os outros colaboradores ou colegas minimizados, desprezando suas idéias e seu trabalho.
Geralmente pessoas com essas características ocupam cargos elevados e utilizam seu poder para impor suas vontades, manipulando as pessoas ao seu redor com o intuito de conseguirem que tudo seja feito conforme seus desejos. Exigem ainda uma disciplina perfeccionista, não respeitando os limites de cada um.
Entendido isso, você pode ignorar a maneira de ser dessa pessoa, e não se sentir inferior em hipótese alguma por isso.É mais fácil lidar com pessoas com essas características depois de analisar e entender os motivos e possíveis origens por elas agirem desse modo.
Procure tratá-lo como um ser humano igual a você, sem supervalorizar aquilo que ele mais busca, que é ter mais e mais poder seja sobre quem for, para poder manipular a todos, para quem sabe, esconder suas fraquezas.


Tenha consciência que essa forma de ser é apenas uma máscara que funciona como proteção para impressionar e se fazer respeitado ou temido, quando na verdade a pessoa no fundo se sente muito distante em ser isso tudo.
Não se deixe impressionar, ignore, apenas isso, e deixe que ela encontre seu caminho e um dia perceba que o que ela precisa desenvolver, não é mais orgulho e ser mais que ninguém, mas sim a humildade em ser quem ela é simplesmente.

Resposta:
 A autenticidade como alguns chamam o excesso de sinceridade ou como você muito bem escreveu, a sinceridade perversa, onde a pessoa fala tudo aquilo que sente, sem ao menos pensar no conteúdo do que fala e em como a pessoa que está ouvindo irá se sentir com tanta autenticidade, acaba geralmente por machucar muito quem ouve tal franqueza.Como lidar com a sinceridade perversa das pessoas realmente francas?
São pessoas que pecam por sua falta de sensibilidade, empatia e exageram em sua impulsividade, sempre falando sem pensar, ou falando o que pensam, mas sem considerar os sentimentos do outro.
Para lidar com esse tipo de característica pessoal, creio que se você pode considerar o que ouviu como um alerta para observar-se mais, ainda que isso possa doer, e ver se faz sentido para você, ou ainda falar directamente com a pessoa, explicando que não gosta de seu jeito de falar.
Mas creio que o diferencial não é tanto o conteúdo do que se fala, mas o tom de voz em que se fala.
As pessoas têm o péssimo hábito de julgar e dar opinião mesmo quando não solicitada.É muito diferente alguém dizer: “Como seu cabelo ficou horrível”, com um tom crítico e devastador, e uma pessoa dizer: “Você mudou seu cabelo, você gostou, foi você quem quis assim?”, com um tom amistoso e compreensivo.


Por vezes queremos apenas contar algo e antes mesmo de acabarmos de falar, já estamos ouvindo julgamentos e opiniões que nada tem haver com aquilo que estamos precisando naquele momento.
Se isso acontece com muita frequência e te incomoda muito, e você já conversou com a pessoa e ela não mudou, ou ainda, você não quer mais ouvir tais comentários, só lhe resta se afastar.
(Autora: Rosemeire Zago)
(Fonte: 2.uol.com.br )



O QUE DIABOS ACONTECEU COM A GERAÇÃO Y?!

Na semana passada eu ouvi de um garoto, ainda na faculdade, o seguinte depoimento:

“Seu texto sobre a subserviência das empresas em relação ao cliente deveria ser pregado na porta de entrada de todas as empresas do país, nas salas de reuniões e ser repetido como mantra em palestras de empreendedorismo para todos os empresários do Brasil. As agências de publicidade, especificamente, estão atingindo um nível de servidão pior do que pastelaria.
 Na pastelaria ninguém fica acelerando o pasteleiro. Ninguém manda e-mailpara o pasteleiro mandando ele entregar o pastel na mesa dele até as 9h da manhã. Para o pasteleiro, quanto mais horas ele trabalhar, mais ele vai ganhar.Falar em hora extra em publicidade só vai fazer as pessoas rirem. Enfim, desculpa o desabafo”.


Somos uma geração de bobos que se acha esperta. Nossos pais davam duro, saiam de casa cedo, trabalhavam como doidos, indo e vindo do centro da cidade, em cartórios, lotéricas e visitas bancárias, muitas vezes em carros sem ar-condicionado, mas ganhavam bem o suficiente para sustentarem uma família com três filhos, carro, cachorro e ainda levavam todos para comerem churrasco aos domingos.
A geração de hoje se deixa enganar pela falsa sensação de divertimento, que nunca tem fim. Transformaram o ambiente de trabalho em um circo, para que você ouça: “Ei, mas aqui é divertido! Dane-se se não te pagamos horas-extra ou se te colocamos para trabalhar por toda a madrugada em troca de pizza. Aqui você pode trabalhar com boné!”.

Quando nossos pais estavam em casa, eles estavam em casa mesmo! Dane-se que o trabalho tinha sido duro, após as 18:00 eles sentavam naquele sofá da Mesbla, abriam a primeira Antártica da noite e era a hora do futebol.Qual foi a última vez que você esteve realmente desconectado do seu trabalho? Você tenta se convencer de que aquele Whatsapp do cliente às 00:00 não é nada demais, que é coisa pequena, que “pega mal” não responder. E aquele inbox no Facebook às 1:35 da manhã? “Ah, eu já estou aqui mesmo, né. Agora ele já viu que eu visualizei…”.


Provavelmente você caiu no mito do home-office libertador, que te faz perceber, anos depois, que ele só foi capaz de te “libertar” do horário comercial. “Ah, mas você trabalha em casa!” — pronto, é sinal de que receberá demandas ou mensagens a qualquer hora da madrugada.
Provavelmente você ainda não se ligou, mas você produz dezenas de vezes a mais do que o seu pai ou os seus tios conseguiam. Antes, para atender um cliente, você precisava ir na loja ou na casa dele, lá na puta que o pariu. Hoje? Skype. Antes, era FAX ou mandar documentos pelos correios. Hoje? E-mail. Antes, você estava limitado à sua cidade. Hoje? Internet, meu filho!

Entretanto, quanto é que você está ganhando? Acorde para a vida!Agências com mesa de sinuca, totó, chocolates à vontade, cafezinho expresso, pula-pula e vídeo-games significam apenas que você está pagando por tudo aquilo e que o seu salário, ao final do mês, sentirá a pancada.

“Tudo bem, porque eu amo o que eu faço!”.

Na semana retrasada eu ouvi isso. Estava contratando os serviços de umaSTART-UP de tecnologia para um dos meus negócios e havia esquecido de perguntar alguma coisa. Já eram 23:00 horas. Fui ao Skype, me certifiquei de que a menina do suporte estava OFFLINE e deixei uma mensagem. Poderia ter feito isso pelo Facebook, mas eu sabia que iria apitar lá na casa dela e não queria esse tipo de coisa, ainda mais naquele horário. Enfim, enviei a mensagem e deixei escrito: “Só me responda quando chegar ao escritório!”.
Faltando quinze minutos para uma da manhã, a menina me responde, pelo Facebook. Eu digo: “O que você está fazendo aqui? Te deixei uma mensagem no Skype! Vá dormir, namorar ou assistir aquelas séries no Netflix!” e ela me disse: “Ah, é que eu entrei no meu skype só para ver se estava tudo bem com os clientes. Vi a sua mensagem e retornei. Não custa nada, nem se preocupe. Eu amo o que faço. Rs”.


Eu amo o que faço…erre esse. À uma da manhã de terça feira. Com o teu chefe te pagando, provavelmente, entre dois mil e quinhentos a três mil reais para isso…e somos nós quem somos a geração dos “desapegados, que querem viver a vida”.
Estamos nos tornando uma geração de trintões cujas preocupações são os próximos shows do Artic Monkeys, a cerveja gourmet da moda e a próxima temporada de House of Cards. Uma geração sem filhos, que foge das responsabilidades, se iludindo com a ideia de que o seu chefe é seu amigo e que por isso você “quebra alguns galhos para ele”.
Ouvimos de todo tipo de especialista, que somos a geração livre por excelência, que preza pela mobilidade e pela qualidade no ambiente de trabalho, mas de alguma forma nós erramos o caminho e nos tornamos aquele tipo de gente que fica conversando com o cliente às 20:00 horas, enquanto janta com a mulher. E nos achamos o máximo, quando batemos o pé: “Ai, que saco, o meu chefe não me deixa em paz!”. Que corajoso!
Acredite, esse gordo manjava dos paranauês
O resultado? Uma nação de escravos!
Olhávamos para nossos pais e avós e pensávamos que eles eram escravos da própria família. Que haviam tido muitos filhos e que isso, de alguma forma, os prendeu em uma vida cheia de amarras e limitações, mas, hoje, advinha só? Da sua idade ele já tinha casa própria e carro na garagem. E você?Figuras de ação do Mega-Man.
Em algum ponto entre o final da faculdade e o começo da vida adulta, nós perdemos a mão. Não estamos estabelecendo relações saudáveis de empregador e empregado, mas um misto de coleguismo com parceria e com prováveis projetos que poderão mudar o mundo, mas que não ajudam a pagar o aluguel.
Ah, mas você não é empregado? Tem o seu próprio negócio? É um empreendedor em início de carreira? As notícias também não são muito boas…

Você também é um escravo!

Com a popularização da tecnologia e da conectividade, os super-heróis deixaram de ser os esportistas e os homens engravatados de Wall-Street e passaram a ser os empreendedores do vale do silício. Aquele tipo de pessoa que usa camiseta sempre da mesma cor, tênis, vai trabalhar de bicicleta e mantém uma dieta ecologicamente adequada.
Com isso, surgiu a cultura da motivação constante e da satisfação do cliente a qualquer custo. Não importa o que aconteça, a experiência do seu cliente deve sempre ser a melhor possível; ainda que ele seja um babaca!
Eu posso te falar uma coisa? Nem sempre o seu cliente tem razão. Nem sempre ele sabe o que é o melhor para o negócio dele e nem sempre aquele“logo dourado com bordas vermelhas, estilo a da propagada da mortadela Seara” é a melhor opção. O problema é que dizer isso na cara dele agora se tornou um crime! Não é proativo e engajado discutir com o cliente, ainda que ele esteja escandalosamente errado!
A cultura desses caras, importada para cá de uma maneira incompatível com a nossa realidade, diz que devemos buscar a composição sempre, fazermos reuniões intermináveis até que todos estejam satisfeitos e sorridentes. Dar pesos e medidas iguais aos especialistas e aos curiosos. O que acontece? Tentar extrair o dente do paciente com uma colher de pau.
Estamos na décima sétima alteração e o contrato diz que só faríamos até cinco? Sem problemas! A satisfação do cliente em primeiro lugar! Ele acha que não precisa fazer um contrato com você? Sem problemas, lá fora muita gente deixa isso para lá! O que? Agora ele não está te pagando? Cuidado! Não o cobre de maneira que possa parecer ofensiva! Não é isso que a Amazon faria!

Você está preso em uma camisa de força verbal.

A camisa de força verbal é um dos institutos comportamentais que mais causa dano à mente e à consciência de qualquer pessoa. No empreendedorismo, 90% dos profissionais sofrem desse tipo de mal.
A maior libertação, para qualquer proprietário, é quando este alcança certo grau de autonomia, que pode chamar a atenção do seu cliente e fazê-lo perceber que aquilo é para o seu próprio bem. Que, identificando o erro, ele está é justificando o seu dinheiro, ao dizer que ele está fazendo merda.

Aqui no Brasil, a educação ganhou status de religião. A mãe que paga a escola não quer ver seu filho criticado, afinal de contas, o boleto é caro. Do mesmo modo, o cliente chato — e insistente — não quer ser repreendido;ganha-se o mantra do “o cliente sempre tem razão”, em desfavor da alma do próprio empresário.
Vá à Itália e peça a comida do jeito que você quiser e ouvirá, imediatamente, um sonoro: “Não. Vá comer em outro canto”. Isso para o brasileiro é criminoso. Faz com que ele se insurja, contando aos amigos: “Acredita que eu pedi para fazer o macarrão mais mole e me disseram que não dava? Que ignorantes!”Ele não enxerga que ele mesmo é que é o pé no saco. Que não respeita nada nem ninguém. Vê no empreendedor alguém que deve servi-lo, independentemente de quão imbecil e sem propósito sejam os seus desejos.

O brasileiro de hoje está acostumado ao mando, porque paga. O código de defesa do consumidor criou um monstro, que custa a saúde emocional e física de milhões de empreendedores. O meu maior conselho a vocês, é:construa uma empresa que você possa mandar o cliente indesejado tomar no cu. Faça isso ou adoeça.
Entretanto, no mundo de arco-íris e pôneis da geração Y, que é feita de vidro, isso é ser rude, preconceituoso, antiquado, grosseirão. Às custas da própria saúde e do caixa da empresa, ele manterá aquele cliente chato, pentelho, arrogante e que — muitas vezes — nem te paga. É isso ou você não estará seguindo “o manual da cordialidade do Facebook”.

A conclusão? Não sei.

Da geração que iria mudar a maneira com que o mundo se relaciona a umbando de bebês de meia idade, que mora de aluguel e que o ponto alto do ano é o lançamento de mais um filme da guerra nas estrelas.
Gente que ama a liberdade, mas que está presa a um computador. Do tipo que está na décima quarta START-UP, sempre atrás daquele round de investimento que o tornará milionário. A menina que tem vergonha de dizer que é vendedora e que se apresenta como “líder-team da equipe de vendas” e do blogueiro que é articulista e CEO no perfil do Facebook.
    Aonde é que fomos parar? O que é que aconteceu com a GERAÇÃO Y? Assim como o garoto do começo do texto: desculpem o desabafo.

(Autor: Icaro de Carvalho)
(Fonte: oindigesto.com)